Está inserido no item 4.14.1 que a  manutenção desses Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho deverá ser feita pelas empresas usuárias, que participarão das despesas em proporção ao número de empregados de cada uma. (Alterado pela Portaria SSMT n.º 33, de 27 de outubro de 1983).


Essa condição visa estabelecer proporcionalmente os custos entre as empresas, com base seus efetivos, exemplo:


Um shopping center terceiriza 50 vigilantes, 30 controladores de tráfegos, limpeza, jardinagens, manutenção e por fim somente mantém o pessoal administrativo para gerenciar estes serviços e seus negócios, implicando na necessidade de constituição do SESMT e rateio proporcional dos custos para estas empresas, cuja responsabilidade passa a ser mútuas das empresas envolvidas, havendo a necessidade de cada qual implementar seus programas de saúde e segurança do trabalho.